7 coisas que você aprende quando para de achar que é o dono da verdade

Imagem: We Heart It
Porque todo mundo tem uma fase na vida, na qual acha que sabe de tudo. Pensa que sabe todas as verdades, bate no peito e diz: "Isso nunca vai acontecer". E falo isso justamente porque já fui uma dessas pessoas, que achava que podia mesmo controlar as coisas e moldá-las para que acontecessem do jeito que queria e quando eu finalmente percebi que, na verdade, eu não sei é nada da vida, foi que eu percebi algumas coisas:

1º Nunca diga nunca

"Nunca" é uma palavra muito perigosa que nunca deveria ser usada (por mais controverso que isso seja). Dizer "Isso nunca vai acontecer" é como desafiar o destino, não sabemos o que o amanhã nos reserva.

2º Ser humilde sempre

Ser uma pessoa inteligente é legal. Mas, isso não quer dizer que você pode sair por aí achando que é o dono do mundo, ou que é mais inteligente que os outros, uma hora vai aparecer alguém mais inteligente que você e você vai perceber que toda essa pose de "eu sou o cara" é a coisa mais ridícula do mundo.

3º Escute seus pais

Você acha que sabe tudo sobre a vida? Acredite, seus pais sabem muito mais. Não há problema nenhum em ouvir os conselhos daqueles que já passaram pelos mesmos problemas que você há um bom tempo atrás, por mais que pareça que eles não te entendem, eles entendem, muito mais do que você pensa.

4º Ouça os conselhos dos mais velhos

Quando a gente para de se achar o dono do mundo percebe que os nossos pais e avós são pessoas extremamente sábias, eles podem até não ser tão estudados quanto você, mas em matéria de vida eles possuem pós-graduação.

5º Admita seus erros

Não há problema algum nisso, ao contrário, admitir que estava errado só demonstra que você evoluiu como ser humano. Magoou alguém? Abaixe a cabeça, respire fundo e mostre a ela o quanto você está arrependido. 

6º Peça desculpas e acima de tudo, perdoe.

Desculpar-se não é sinônimo de fraqueza, pelo contrário, desculpar-se só mostra o quanto você cresceu. E não tenha medo de perdoar, o perdão faz bem para o espírito. Sabe aquela frase que diz "Guardar rancor é tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra."? Então, é exatamente isso...ódio, rancor, mágoa...são sentimentos que corroem a alma e azedam o coração. Perdoar não quer dizer aceitar os erros alheios, perdoar é superá-los.

7º Na verdade, você não sabe de nada.

Simples assim, quando a gente para de se achar o dono da verdade, descobre que não sabemos é de coisa nenhuma. Tudo aquilo que jurávamos ser já não é mais, o que pensávamos saber, não sabemos nem da metade...Então, faça um favor a si mesmo e pare de achar que é o dono da razão, porque, outra coisa que a gente descobre é que a razão, no fim das contas, não tem dono.


 photo novobannertalitahelen_zps640dfb7a.jpg

A vida muda, só quando a gente decide que está na hora dela mudar...




Esse posta é um meme criado pelo pessoal do Rotaroots, a ideia é inovar e mostrar para todo mundo a sua letra, amei a ideia e resolvi fazer esse post assim, o meme veio 'na hora certa' porque era tudo o que eu precisava para expor para vocês a nova fase do blog, espero que tenham gostado e apreciem o novo EtCoetra :D

Abaixo deixei o mesmo texto que está na foto, vai que alguém não entende minha letra rs...


Que a vida é um eterno ciclo de mudanças todo mundo está cansado de saber, os dias passam, pessoas vem e vão, mudam de roupa, cabelo, casa, cidade...Mas, o que afinal causa essas mudanças? Tédio? Vontade? Necessidade? A vida muda sim, mas para que ela mude primeiro a gente tem que decidir que está na hora dela mudar. De nada adianta ficar sentado no sofá, ou deitado na cama olhando pro teto esperando que as mudanças aconteçam, tem que por os pés no chão, ter a coluna ereta e muita força de vontade, porque mudar não é fácil, mas também não é tão difícil assim, começar aos poucos, esse é o segredo, abrir mão de coisas velhas para dar espaço às novas, deixar de lado alguns hábitos não tão saudáveis e adquirir outros, aos poucos ir trazendo para perto de você aquilo que te faz bem, te faz feliz. Escrever sobre livros foi para mim uma coisa incrível durante esses anos, tive a oportunidade de falar sobre uma das coisas que mais amo, os livros. E graças a esse hobby eu conheci pessoas incríveis e maravilhosas, porém, assim como tudo na vida as minhas necessidades mudaram, podem dizer que é a idade chegando ou coisa parecida, mas falar somente sobre livros não é mais suficiente para mim, ultimamente venho sentindo uma necessidade de falar sobre a vida no geral, é por isso que venho anunciar para vocês algumas mudanças: Irei a partir de agora fazer desse um espaço ainda mais pessoal, vou despejar aqui tudo o que se passa na minha mente e coração, vou falar sobre livros, músicas, fotografia, séries, filmes, arte, poesia, enfim, vou falar da vida e suas 'demais coisas'...


 photo novobannertalitahelen_zps640dfb7a.jpg

Promoção "Eu quero ser personagem do novo livro do Maurício Gomyde"



"Você quer ser personagem do novo livro do Maurício Gomyde e ainda ganhar um LEV?"

- A promoção escolherá uma pessoa para participar da história do 6º livro do autor Maurício Gomyde, como já feito em duas outras oportunidades (nos livros "Ainda não te disse nada" e "Dias Melhores pra Sempre"). Além disso, a pessoa ainda ganha um LEV de presente.

- O sorteio ocorrerá dia 02/11/2014 - domingo, pelo Random.org.

- A personagem será do sexo feminino e, caso o sorteado seja uma pessoa do sexo masculino, ele poderá dedicar a personagem a alguém (esposa, namorada, amiga, irmã, etc.).

- Após o sorteio, o autor Maurício Gomyde entrará em contato com a ganhadora para uma entrevista (gostos pessoais, musicais, literários, cinematográficos, características físicas e de personalidade) e, assim, conseguir conceber a personagem que fará parte do novo romance.

Para participar é fácil, basta preencher o formulário abaixo e seguir algumas regrinhas básicas:




Regras:

a) Preencher o formulário acima e deixar um comentário na postagem, com a frase "Eu quero ser personagem do novo livro do Maurício Gomyde";

b) O participante, para ser personagem E ganhar um LEV, deve ser seguidor de alguma das seguintes redes sociais do Maurício Gomyde:

      - Instagram: @mauriciogomyde   
     ou

 Você pode participar em todos os 184 blogs participantes da promoção, os links para todos eles estão em www.mauriciogomyde.com

Boa sorte pessoal :D


 photo bannertaly_zpse3d2f774.jpg

Resenha - Como Dizer Adeus em Robô, Natalie Standiford

 photo bannerblog1_zps70e9f9b1.jpg
Como Dizer Adeus em Robô por Natalie Standiford
Como Dizer Adeus em RobôCom um toque melancólico, o livro conta a singular ligação entre Bea 
e Jonah. Eles ajudam um ao outro. E magoam um ao outro. Se rejeitam e se aproximam. Não é romance, exatamente mas é definitivamente amor. E significa mais para eles do que qualquer um dos dois consegue compreender... Uma amizade que vem de conversas comprometidas com a verdade, segredos partilhados, jogadas ousadas e telefonemas furtivos para o mesmo programa noturno de rádio, fértil em teorias de conspiração. Para todos que algum dia entraram no maravilhoso, traiçoeiro, ardente e significativo mundo de uma amizade verdadeira, do amor visceral, Como dizer adeus em robô vai ressoar profunda e duradouramente.
Bea é uma 'garota robô' pelo menos, é assim que a mãe dela a chama. Bea tem uma certa dificuldade em mostrar seus sentimentos, muitas vezes agindo como se, de fato, fosse um robô. Um ser frio que aparentemente não consegue esboçar nenhum tipo de sentimento.




Ao se mudar de cidade, de novo, Bea começa a frequentar uma nova escola. Nova escola, novos colegas...mas, Bea não é uma pessoa que faz amizade facilmente e acaba por encontrar certa dificuldade em lidar com as novas amigas, afinal, elas são bem diferentes...

Porém, Bea acaba encontrando alguém com quem ela simpatiza. E esse alguém é Jonah, o cara mais "esquisito" do colégio. Jonah é como um "fantasma", aliás, esse é mesmo o apelido que o rapaz ganhou no colégio há alguns anos atrás...




Aos poucos, uma amizade um tanto quanto estranha e singela vai nascendo entre eles. O relacionamento entre os dois não chega a ser romântico, porém há sim amor entre eles, esse tipo de amor confuso e turbulento que, as vezes, assola os corações adolescentes.

"Como Dizer Adeus em Robô" é aquele tipo de livro difícil de descrever, é um história simples, bonita, inocente...Dessas que mexe como nosso coração, embora a gente não saiba exatamente o 'por quê'.



Bea é uma "garota de lata" que 'de lata' na verdade, não tem nada, ela é repleta de sentimentos bem humanos e viscerais, o que me fez gostar tanto do livro foi essa semelhança que encontrei entre mim e Bea, essa característica dela de não falar sobre o que sente, guardar para si seus sentimentos...eu também sou assim, tenho certa dificuldade de falar sobre o que sinto...

Enfim, o livro é muito bom, leitura super recomendada.



“Eu sentia como se fosse possível abrir uma porta no meu peito oco de metal – só abri-la,facilmente – e ver meu coração latejando, cru e sangrando e dolorido. Você até podia esticar a mão e apertá-lo se quisesse. Eu não queria ninguém chegando perto o bastante para abrir aquela porta e ver aquela bagunça.” Página 308

Título Original: How To Say Goodbye in Robot
Autora: Natalie Standiford
Páginas: 344
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501091024
Ano: 2013 


 photo bannertaly_zpse3d2f774.jpg

"Vício" por Gustavo Lacombe



O texto de não é meu, é do Gustavo do blog Gustavo Lacombe, já falei dele nesse post, lembram?? Espero que gostem do texto!!!


Você deve ter feito de propósito! Não é possível!
Deitei a cabeça no travesseiro e a única coisa que conseguia lembrar era o quente da tua boca na minha e como as línguas se falavam e se entendiam. Gostoso demais pra me deixar dormir sem ficar pensando longos minutos e cogitando sair correndo de madrugada só pra provar de novo o que por muito tempo eu não encontrei: química.
O lado da cama que eu deitava parecia me fazer, inclusive, lembrar das tuas mãos em mim. Era como se ainda tivesse seus dedos marcando a minha roupa, meu braço, minha perna, minha nuca. E eu, no escuro, mordendo o lábio e rindo solitário pro teto, que certamente achava mais graça ainda na minha loucura de ficar projetando nós dois nele, como se visse um filme.
E a cabeça parecia estar em looping.
Um segundo antes de adormecer, pude sentir o vento trazer seu cheiro. Como se me fizesse cafuné, alisando meus cabelos como você faz, peguei no sono com a certeza de que não estava ali sozinho. Se não ao meu lado na cama, noutra parte da cidade o nosso pensamento se conectava.
E ainda se beijava.
Dormi sem sonhar. Aliás, sonhar pra quê? Já tinha passado a noite inteira de olhos fechados no meio do seu beijo e do seu abraço, abrindo-os apenas para me certificar de que, realmente, não estava sonhando acordado. Você fez de propósito, eu sei. Sem conseguir pensar em mais nada, fiquei comigo pensando “como eu quero de novo”. Seu beijo, meu vício gostoso.
 photo bannertaly_zpse3d2f774.jpg

 
Design geral de: Rachel Lima | C�digos de Giovana Joris
|